Termo

Tibetano:

སྐུ་

sku

corpo (honorifico)

Sânscrito:

काय

kāya

corpo

Português:

kāya, corpo, forma, personificação

De acordo com os ensinamentos Mahāyāna, a realidade transcendente da budeidade perfeita é descrita em termos de dois, três, quatro, ou cinco kāyas ou 'corpos'. Quando descrita em dois kāyas, este são o dharmakāya, ou 'corpo absoluto', e o rūpakāya, ou 'corpo formal'. Quando descrita em três kāyas refere-se ao dharmakāya mais os dois aspetos do 'corpo formal': o sambhogakāya ou 'corpo de fruição perfeita', e o nirmāṇakāya ou 'corpo de manifestação'. Por quatro kāyas, entendemos os três kāyas anteriores, mais o svābhāvikakāya ou 'corpo essencial', isto é, inseparabilidade dos três primeiros. Os cinco kāyas são os três kāyas mais o vajrakāya ou o 'corpo imutável' ou 'adamantino', e o abhisambodhikāya ou o 'corpo da iluminação manifesta', os cinco aspetos da budeidade: o aspeto absoluto ou vacuidade (dharmakāya); clareza luminosa espontânea (sambhogakāya); compaixão (nirmaṇakāya); indestrutibilidade (vajrakāya); e qualidades iluminadas (abhisambodhikāya).

De acordo com os ensinamentos do Mahāyāna, a realidade transcendente do budismo perfeito é descrita em termos de dois, três, quatro ou cinco kāyas, ou corpos. No primeiro caso, os dois corpos, são o dharmakāya, o corpo absoluto e o rūpakāya, o corpo formal. O dharmakāya é o aspecto absoluto, "vazio", do budismo e é perceptível apenas para os seres desse nível. O rūpakāya é subdividido (dando assim origem a três corpos) no sambhogakāya, o corpo da fruição perfeita, e o nirmāṇakāya, o corpo da manifestação. O sambhogakāya, ou o aspecto de clareza luminosa espontânea do buda, é perceptível apenas a seres altamente realizados. O nirmāṇakāya, o aspecto compassivo, é perceptível para os seres comuns e aparece normalmente no mundo, embora não necessariamente, na forma humana. O sistema de quatro corpos consiste nos três que acabamos de descrever juntamente com o svābhāvikakāya, ou corpo essencial, que se refere à união dos três anteriores. Quando cinco corpos são mencionados, isto significa os três primeiros kāyas juntamente com o corpo imutável ou adamantino (ou Vajra) (o aspecto indestrutível do budismo) e o corpo da iluminação manifesta (o aspecto das qualidades iluminadas). [IMW 2004]

English:

kāya, body

See three kayas, four kayas, five kayas. [WOMPT]

According to the teachings of the Mahayana, the transcendent re­ality of perfect buddhahood is described in terms of two, three, four, or five kayas, or bodies. The two bodies, in the first case, are the dhar­makaya, the Body of Truth, and the rupakaya, the Body of Form. The dharmakaya is the absolute, "emptiness" aspect of buddhahood and is perceptible only to beings on that level. The rupakaya is subdivided (thus giving rise to three bodies) into the sambhogakaya, the Body of Perfect Enjoyment, and the nirmanakaya, the Body of Manifestation. The sam­bhogakaya, or the spontaneous clarity aspect of buddhahood, is percepti­ble only to highly realized beings. The nirmanakaya, the compassionate aspect, is perceptible to ordinary beings and appears in the world usually, though not necessarily, in human form. [CMH 2001] The system of four bodies con­sists of the three just described together with the svabhavikakaya, or Body of Suchness, which refers to the union of the previous three. When five bodies are mentioned, this means the first three kayas together with the Immutable Diamond (or Vajra) Body (the indestructible aspect of buddhahood) and the Body of Complete Enlightenment (the aspect of enlightened qualities). [IMW 2004]

see Trikaya [LLB 2002]