Termo

Tibetano:

རྒྱལ་ཆེན་རིགས་བཞི་ , རྒྱལ་པོ་ཆེན་པོ་བཞི་

rgyal chen rigs bzhi, rgyal po chen po bzhi, 'jig rten skyong ba

Sânscrito:

caturmahārājakāyika, mahārāja, lokapāla

classe dos quatro grandes reis, guardiães do mundo

Português:

quatro grandes reis, guardiães do mundo

Quatro deuses, protetores do Dharma e cada um destes reis está relacionado com uma das quatro direções cardeais. Consistem em Dhṛtarāṣṭra a leste, Virūḍhaka ao sul, Virūpākṣa no oeste e Vaiśravaṇa ao norte. O seu mundo está localizado no primeiro dos seis reinos de deuses no Mundo do Desejo, nas encostas do Monte Meru. É habitual encontrar pinturas murais destes reis no exterior dos templos tibetanos junto às portas de entrada.

"Lokapāla", em sânscrito, lit. "guardiães do mundo" ou "protetores do mundo", trata-se de um nome alternativo para os quatro "grandes reis" (mahārāja) dos céus, que foram trazidos para o Dharma pelo Buda e encarregados de proteger os habitantes do mundo. Os guardiães do mundo residem no primeiro e mais baixo dos seis céus do Mundo do Desejo (o Kāmadhātu), no céu dos quatro grandes reis (Cāturmahārājakāyika). São vassalos de Śakra, o rei (Indra) dos deuses, que é o senhor do céu dos trinta e três devas, o segundo dos seis céus do reino sensual, que se situa no cume do eixo central do mundo do Monte Sumeru. Os nomes dos guardiões mundiais são (1) Dhṛtarāṣṭra, que guarda o portão do leste, na meia encosta do Monte Sumeru, que conduz ao continente de Videha; (2) Virūḍhaka no sul, que guarda o portão que conduz a Jambudvīpa; (3) Virūpākṣa no oeste, que guarda o portão que conduz a Godānīya; e (4) Vaiśravaṇa no norte, que guarda o portão que conduz a Uttarakuru.
Existem oito classes de seres que são subservientes aos guardiães do mundo, Dhṛtarāṣṭra governa os gandharvas e os pūtanas; Virūḍhaka os kumbhāṇḍas e os pretas; Virūpākṣa os nāgas e os piśacas; e Vaiśravaṇa os yakśas e rākṣasas. Os quatro guardiães do mundo eram de início divindades características da Índia ou da Ásia Central, que foram eventualmente incorporados no budismo; parecem ter sido originalmente associados às linhagens reais (kṣatriya), e as suas ligações à guerra régia são evidenciadas nas suas armadura que vieram a envergar à medida que o seu culto foi transmitido da Ásia Central para a China, Coreia, e Japão. [Lopez & Buswell 2014]

Inglês:

four great kings

Espanhol:

cuatro grandes reyes

Francês:

Italiano:

quattro grandi re