Termo

Tibetano:

དུར་ཁྲོད་

dur khrod

lugar de cerimónias fúnebres

Sânscrito:

श्मशान

śmaśāna

lugar funerário

Português:

campo-de-ossadas, cemitério

Na antiga Índia, era o lugar onde se depunham os corpos dos mortos, cremados ou não, para que se decompusessem ao ar livre. Como tal, consta que eram locais proscritos, juncados de ossos, habitados por espíritos e por animais selvagens, como chacais e abutres, e frequentados por foragidos. No contexto budista, eram locais de eleição para certas práticas contemplativas, como a meditação sobre a impermanência e desapego ao corpo — através da observação dos corpos em decomposição — ou, no caso dos yogins, para o desenvolvimento de certas práticas tântricas, como a visão da igualdade de todos os fenómenos, puros e impuros. Também chamado: རོ་ལྡན་གནས་ (ro ldan gnas) lit. lugar dotado de cadáveres.

Inglês:

charnel ground

Espanhol:

osario (a veces cementerio)

Francês:

Italiano: